Encontro com Crianças de Olhos Negros (BEKs)

Entre as entidades mais temidas de todos os tempos, estão as crianças de olhos pretos (também conhecidos como BEK (Black-Eyed Kids)). Elas são geralmente descritas como crianças com idade entre 9 e 16 anos, com físico e comportamento normais, mas seus olhos são completamente diferentes de tudo que já foi visto. Seus olhos, sem qualquer pupila ou íris, são completamente negros, como as entidades do mal do filme “O Grito”. Eles aparecem em roupas normais, ou um pouco antiquadas, e dizem que falam em um tom muito maduro para sua idade. Eles geralmente aparecem perdidos e impotentes diante de sua casa ou carro, fazendo um pedido insistente para se deixar entrar. Por alguma razão, testemunhas relatam sentir um medo inexplicável, mesmo antes de perceber seus olhos diabólicos. As crianças supostamente usam algum hipnotismo de baixo nível, para que as pessoas inconscientemente deixe-os entrar em sua propriedade, exatamente no momento antes de se perceber seus olhos e, logo em seguida, fugir.

Aqui resumirei a história de Brian Bethel, um jornalista de renome, que é o mais antigo encontro com um BEK, sendo registrado em 1996.

Em uma noite de 1996, Bethel estava seguindo caminho para o escritório de seu provedor de internet na 1st Street em Alibene Texas, para pagar suas contas. Ele não sabia que esta seria sua noite mais assustadora que nunca tivera. Ele estava sentado em seu carro no estacionamento, quando dois meninos com idade entre 9 e 12 anos vieram bater à sua janela. Os meninos, como ele descreveu, eram “um jovem menino moreno, de cabelos crespos” e “uma jovem ruiva, de pele clara e rosto sardento”. Os meninos usavam pullovers. O primeiro menino explicou que os dois tinham vindo para assistir a uma premier de “Mortal Kombat” no cinema, mas tinham esquecido o dinheiro na casa de sua mãe. Eles, portanto, pediram uma carona até a casa de sua mãe para buscar o dinheiro e voltar para o cinema. Durante todo o tempo, uma conversa se seguiu e Bethel foi consumido por um medo sem sentido. O menino tentou convencê-lo com garantias como: “Não levaria muito tempo, eles eram apenas dois filhos pequenos, eles não tinham uma arma ou qualquer coisa.” Bethel inconscientemente estendeu a mão para abrir a porta do carro, quando de repente ele veio a perceber seus olhos negros como carvão, os olhos que ele descreveu como “o tipo de olhos se vê nos dias de hoje sobre alienígenas, vampiros ou monstros do porão na televisão tarde da noite. Órbitas sem alma como duas grandes faixas da noite sem estrelas”. Tentando manter um comportamento normal, Bethel murmurou algumas desculpas, ligou o veículo, e acelerou seu carro para longe. Enquanto olhava para o espelho retrovisor, ele descobriu que as crianças simplesmente haviam desaparecido, em questão de segundos.

Esse incidente ocorreu entre 21:30 e 22:00 naquela noite, um incidente que jamais esqueceria. Bethel começou a enviar e-mails particulares a algumas pessoas de confiança sobre sua experiência, mas logo sua história se espalhou como fogo na internet. Assim, a experiência pessoal deste jornalista logo foi compartilhada por milhares de pessoas, alguns legítimos, outros não, mas o suficiente para que os BEKs possam ser considerados como um fenômeno paranormal moderno.


É raro encontrar relatos de pessoas que deixaram as crianças entrarem na residência. Localizei um no site weekinweird.com e vou traduzir do meu jeito. Trata-se da história de uma mulher que entrou em contato com o site, dizendo que cometeu o maior erro de sua vida, ao deixar as crianças entrarem em sua casa. Agora ela estaria pagando um preço muito alto.

Segue abaixo o relato:

EU DEIXEI OS BEKs ENTRAREM NA MINHA CASA

“Deixe-me começar dizendo que eu sei o quanto é difícil de acreditar nisso tudo, mas agora que as coisas estão piores, comecei a pesquisar histórias parecidas com a minha e encontrei vocês. Eu sinto que deveria compartilhar essa história. Eu cometi o erro de deixar as Crianças de Olhos Negros entrarem na minha casa, e agora estou preocupada que eu possa morrer por causa disso.

Eu vivo numa cidade rural em Vermont. É uma comunidade bastante coesa, todos se conhecem e as pessoas não trancam as portas à noite. Nunca houve qualquer necessidade.

Um pouco mais de um ano atrás acordei porque ouvi uma batida forte na porta da frente. Na época, meu marido e eu morávamos numa pequena casa numa estrada de terra fora da rota rural da cidade. Era o meio de uma tempestade de neve e as vizinhança fica muito escorregadia na neve, então imaginei que alguém tivesse sofrido um acidente. Isso já aconteceu antes.

Quando olhei para fora da janela pude perceber que a luz com sensor de presença estava acesa. Eu podia ver que haviam pegadas na neve vindas de nosso caminho e em nosso caminho, mas não havia carro em nenhum lugar. A neve ainda cobria a estrada e ninguém havia dirigido por ela, por pelo menos algumas horas. Nossa porta da frente estava obscurecida pela janela, mas eu podia perceber que havia alguém lá. Eu não sabia bem o que pensar, então acordei meu marido apenas para me sentir mais segura. Enquanto eu dizia a ele o que estava acontecendo, bateram na porta novamente e enquanto eu ficava no corredor, meu marido foi atender.

Quando ele abriu a porta haviam duas crianças que estavam na neve olhando para o chão. Eles eram um menino e uma menina e não poderiam ter mais de 8 anos de idade. Eles estavam vestidos estranhamente e tinham cortes de cabelo estranhos. O cabelo da menina era muito longo e reto, e o menino tinha um corte de cabelo que parecia um corte tigela. Eles não estavam vestidos para o inverno e meu primeiro pensamento foi que elas deviam ser crianças Menonitas, mas até onde eu sei, nunca houve uma grande comunidade de Menonitas perto de nós.

Pensando nisso eu sei que a minha reação normal ao ver crianças em uma tempestade de neve teria sido a de colocá–los para dentro e cobri-los com alguns cobertores e dar chocolate quente, mas não era isso que eu sentia. As crianças eram muito enervantes. Elas não faziam contato visual e quando meu marido perguntou se tudo estava ok eles perguntaram se podiam entrar. Meu marido olhou para mim como que perguntando “o que eu faço?” e eu perguntei as crianças, onde seus pais estavam.

“Eles estarão aqui em breve”, foi tudo o que disseram.

Era por volta de 2 horas da manhã. Nesse momento, o único pensamento razoável na minha cabeça era de que deveria ter havido um acidente ou as crianças se perderam. Por mais que meus instintos me dissessem para não trazê-los para dentro, mesmo assim eu fiz.

Eu fui para a cozinha para fazer-lhes algum chocolate quente, enquanto meu marido levou-os para a sala de estar. Enquanto eu estava preparando a chaleira, podia ouvir meu marido conversando com as crianças. Ele estava perguntando-lhes se elas estavam bem, de onde tinham vindo, o quão longe elas haviam caminhado, se o carro de seus pais havia quebrado, coisas assim. Mas eles sempre respondiam “nossos pais estarão aqui em breve”. Eles falavam com uma voz cantar canções. Eles não tinham medo de estar na casa de um estranho, de qualquer maneira.

Comecei a perceber que nossos gatos (temos quatro) foram todos se esconder, exceto Pombo que estava na cozinha comigo. Normalmente, os nossos gatos são muito curiosos e amigáveis e nós temos que ter cuidado para que eles não corram para a porta quando nós saímos. Desta vez, nenhum deles sequer tentou ver quem estava aqui, e eu pensei que era muito estranho. Todo o cabelo do pescoço de Pombo estava de pé e sua cauda estava inchada, enquanto ele olhava para a sala de estar. Quando me abaixei para acariciá-lo e ver o que estava errado, ele sussurrou e começou a rosnar e se escondeu na cozinha. Eu nunca vi ele fazer isso antes.

Quando eu voltei para a sala, as crianças estavam sentadas no sofá imóveis, mas meu marido estava segurando a cabeça entre as mãos. Perguntei o que havia de errado e ele disse apenas que se sentiu muito tonto, de repente, mas que estava bem. Voltei-me para as crianças para lhes dar o chocolate, mas quando olharam para mim eu ofeguei. Fiz de tudo dentro de mim para não deixar as canecas caírem e fugir. Quando eles olharam para mim, os seus olhos estavam completamente pretos. Eles não tinham os brancos apenas gigantes pupilas negras.

Quando viram que eu estava com medo, elas se levantaram e perguntaram se podiam usar o banheiro. Tentei ser tão composta quanto poderia ser e mostrei-lhes o final do corredor. Entraram no banheiro juntos e eu corri de volta para o meu marido para perguntar se ele tinha visto seus olhos. Ele também havia visto e disse que parecia como quando seus irmãos machucaram os olhos depois de um acidente de carro. Nós estávamos no meio do assunto sobre quem aquelas crianças poderiam ser quando o nariz do meu marido começou a sangrar. Ele nunca tinha tido hemorragias nasais, desde que eu o conhecia. Eu só sabia dentro de mim que isso tinha algo a ver com as crianças no banheiro e comecei a chorar enquanto eu corria para chegar ao meu marido com alguns panos.

Foi aí que a energia acabou. Eu ouvi meu marido gritar meu nome da sala de estar e quando comecei a caminhar de volta pelo corredor, eu parei no meio do caminho. As duas crianças estavam de pé no final do corredor. Elas não estavam se movendo e eu nunca estive tão assustada em toda minha vida. Elas só ficaram lá no escuro.

Depois do que pareceu uma eternidade o menino disse: “nossos pais estão aqui” e caminharam até a porta, abriu-a e saíram deixando-a aberta. Meu marido se levantou para ir fechá-la e quase caiu. Olhamos pela janela e vimos dois homens que estavam em um carro preto em marcha lenta no final do nosso caminho de entrada para a casa. Os homens pareciam estar vestindo ternos de cor preta e eram muito altos, pelo menos 1,80m. Quando meu marido acenou para eles, apenas olharam para nós, entraram no carro e partiram.

A energia elétrico voltou cerca de meia hora mais tarde, mas nada foi o mesmo depois disso.

Ao longo dos próximos meses, três dos nossos gatos desapareceram. Só podemos supor que eles fugiram para algum lugar e nunca mais voltaram, mas a pior coisa foi voltar para casa e encontrar Pombo em uma poça de sangue no chão da sala. Ele parecia que tinha vomitado sangue. O veterinário disse que ele tinha algum tipo de hemorragia.

Depois que as hemorragias nasais do meu marido tornaram-se regulares, fomos ver o médico. Ele não sabia o que fazer com ela, pois não eram “passagens nasais secas”, mas o meu marido foi diagnosticado com um câncer de pele agressivo. Quando o médico perguntou se ele havia usado câmaras de bronzeamento, ambos pensamos que ele estava brincando, mas aparentemente esse tipo de melanoma está associado ao excesso de uso de bronzeamento artificial. Os médicos acreditam que ele vai se recuperar, mas não entendo como isso ficou tão ruim tão rapidamente. Meu marido nunca trabalhou ao ar livre e fica relativamente pouco tempo no sol.

Desde que deixamos as crianças entrarem em nossa casa eu também passei a sofrer de tonturas regulares e hemorragias nasais em uma frequência comum. Eu tive outras coisas que não vou mencionar aqui, mas acredite em mim quando eu digo que eu estou nas piores condições da minha vida e ninguém pode fazer nada a respeito. Eu sei que tudo isso é porque eu deixei as Crianças de Olhos Negros entrarem em minha casa. Nós dissemos a todos tudo que podíamos sobre as crianças estranhas que apareceram naquela noite, mas ninguém mais os viu e alguns riram de quão assustado estávamos, mas sabemos o que vimos. Eu desejo que meu marido nunca tivesse aberto a porta.

Sinta-se livre para publicar isso como um aviso para os outros sobre os Black-Eyed Kids. Meu conselho é para trancar as portas, chamar a polícia, e esperar para amanhã. Não cometa o mesmo erro que eu”.

Veja também

Mito: Jenglot (Indonésia)

Jenglot é uma criatura que faz parte da mitologia da Indonésia e é uma espécie …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *