Ilha de Socotra (Iêmen)

Esta ilha é como nenhuma outra no mundo inteiro. É um lugar que você precisa realmente ver para poder acreditar que existe. Para muitos, é o lugar com aparência mais alienígena que existe na Terra.

Sobre o arquipélago

Socotra é uma das 4 ilhas que fazem parte do arquipélago de Socotra, localizada no noroeste do Oceano Índico e a aproximadamente 340km ao sul do Iêmen. As montanhas Hajhir ocupam o interior de Socotra, com estreitas planícies costeiras no norte e uma planície mais ampla no sul. Para o sudoeste e oeste estão as ilhas menores de Samḥah e Darzah, que também pertencem ao Iêmen. As ilhas ficam em bancos de corais e podem um dia ter sido conectadas com os continentes africano e asiático.

O nome de Socotra é originário do sânscrito dvipa-sakhadara, “ilha morada de felicidade“. Ela é mencionada em muitas lendas antigas. Seus habitantes eram cristãos, mas essa cultura já desapareceu há muito tempo. Durante algum tempo, ela foi governada pelos sultões Mahra, mas em 1880, o sultão aceitou uma proposta de proteção do lugar pelos britânicos. Isso chegou ao fim apenas em 1967, quando Socotra passou a fazer parte oficialmente do Iêmen.

Desde 2008, como reconhecimento pela distinta vida animal e vegetal da ilha, ela foi incorporada a UNESCO como patrimônio mundial.

Mas o que há de tão interessante em Socotra?

Algumas características desse lugar a transformam num lugar incrível. A sua biodiversidade possui uma flora e fauna rica e distintas de outros lugares do mundo.

Para se ter uma idéia, 37% das mais de 800 espécies de plantas, 90% de suas espécies de répteis e 95% de suas espécies de caramujos terrestres, não existem em nenhum outro lugar do planeta. Além disso, também o lugar abriga populações significativas de aves terrestres e marinhas.

Em 2010, uma equipe arqueológica russa descobriu as ruínas de uma cidade em Socotra que datam do século II. A ilha também é considerada o local do Jardim do Éden original, devido ao seu isolamento, diversidade biológica e ao fato de estar localizada na orla do Golfo de Aden, que muitos conectam com antigos contos sumérios de um paraíso conhecido por Dilmun.

Para os turistas, uma das coisas que mais chamam a atenção em Socotra são as árvores “sangue de dragão”, que parecem discos voadores instalados em troncos (para algumas pessoas a semelhança é com um guarda-chuva do avesso).

O que fazer em Socotra?

Primeiramente, o que vai chamar mais atenção com certeza é a vida vegetal da região, mas as praias e montanhas certamente oferecem passeios bastante interessantes também. A Caverna Dagub e um passeio pelas dunas de Hayf também parecem ser imperdíveis.

A Área Protegida de Homhil é o local onde podem ser vistas a maior quantidade de árvores de sangue de dragão, garrafa, olíbano, pepino e mirra, bem como há uma piscina infinita natural com vista para o Mar da Arábia.

Como conhecer?

Se você se interessou em conhecer esta ilha maravilhosa, saiba que existem algumas empresas que oferecem este serviço. Uma delas é a Inertia Network e você pode acessar, clicando AQUI.

Em algumas pesquisas na internet, verifiquei que o gasto médio para passar 10 dias na ilha é em torno de US$ 1.300 (em torno de 7.000 reais na cotação de hoje), com tudo incluso.

Alguns fatos sobre Socotra
    • O arquipélago foi isolado há milhões de anos, durante a Época Miocena. O isolamento que Socotra teve por milhões de anos é o que levou a todas as espécies endêmicas ali presentes.
    • O arquipélago é composto por quatro ilhas. O maior sendo chamado de Socotra. Os outros três são Abd al-Kuri, Samhah e Darsa.
    • Socotri, a língua falada em Socotra, é uma antiga língua semítica falada em nenhum outro lugar da Terra.
    • Muitas das mulheres da ilha têm um haplogrupo de DNA não encontrado em nenhum outro homem em qualquer outro lugar do mundo.

Veja aqui mais algumas imagens

Fontes:
Adventures of Nicole
Inertia Network
Unesco
Britannica
Atlas Obscura

Veja também

Ilha Sentinela do Norte (Índia)

No fim de 2018, a morte de um missionário americano que resolveu visitar ilegalmente a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *