Home / Fantasmas / O Fantasma Saltador

O Fantasma Saltador

Spring-Heel Jack poderia facilmente ser um personagem de qualquer autor com um senso de humor mais ácido. Charles Dickens poderia tê-lo inventado se assim desejasse.

No século 19 era muito comum ouvir relatos de que fantasmas rondavam as ruas de Londres. As histórias contavam que eles costumavam atacar pedestres que andavam sozinhos. Uma dessas primeiras entidades e mais famosas foi o Hammersmith Ghost, que teria aparecido nos anos de 1803 e 1804. Particularmente, Hammersmith tinha várias características em comum com Spring-Hell Jack, uma delas era a capacidade de saltar muito alto.

Spring-Heel Jack apareceu pela primeira vez em 1837, em Barnes Common, região sudoeste de Londres. Ele surgia pulando na frente das pessoas, atacava-as fisicamente e depois fugia saltando.

Uma das vítimas, Lucy Sales, na época com 18 anos, foi atacada quando estava indo para sua casa em Green Dragon Alley. A figura encoberta pulou na sua frente, cuspiu fogo (que cegaram Lucy temporariamente) e então fugiu saltando rapidamente.

Uma outra vítima, Jane Alsop, estava em sua casa quando bateram na porta, assim que ela abriu, viu uma figura vestida de forma sombria e com capa, que disse: “Sou um policial. Pelo amor de Deus, traga-me um candeeiro. Capturamos SpringHell Jack nesta rua!”. Quando ela retornou com uma vela, o “policial” jogou para trás as roupas que vestia e revelou uma figura vestida com um capacete com chifres e uniforme branco. Ele agarrou-a e começou a passar as mãos em seu corpo. Jane disse posteriormente que “O rosto dele era horrendo, seus olhos ardiam como bolas de fogo. As mãos, grandes e frias, pareciam pedras de gelo, e ele cuspia chamas azuis e brancas“.

Uma outra garota, Mary Stevens estava caminhando para Lavender Hill, onde trabalhava. No caminho, uma figura estranha saltou para perto dela próximo de um beco escuro. Com ela assustadas, ele conseguiu imobilizá-la apertando firme seus braços e começou a beijar seu rosto, rasgou também suas roupas e tocou em sua pele com suas “garras”, que conforme Mary relatou eram “frias e pegajosas como as de um cadáver”. Ela entrou em pânico, gritou o mais alto que pode e assim afugentou o atacante.

Claro que depois de alguns relatos, a preocupação começou a tomar conta da população. Grupos foram organizados com a intenção de manter a ordem local, mas Spring-Heel Jack parecia estar sempre a frente deles. Em 1877, uma de suas últimas aparições foi relatada em Aldershot, quando atacou 3 sentinas de um quartel. Os soldados tentaram reagir atirando em quem os atacava, mas ele conseguiu fugir.

Uma das teorias sobre Spring-Heel Jack diz que ele poderia ser o nobre Henry, que era marquês de Waterford, e que supostamente usava molas de carruagem presas em suas pernas para conseguir dar saltos incríveis. Mas essa teoria vai por água abaixo quando pensamos que o marquês teria passado mais de 40 anos saltando. Além disso, ele já teria passado facilmente dos 60 anos na sua última aparição. Outra informação que enfraquece essa teoria é que durante a Segunda Guerra Mundial, paraquedistas alemães realizaram experiências com molas parecidas com as de carruagens para aliviar os pousos, mas não tiveram sucesso.

Veja também

O Verdadeiro Christine, o Carro Assassino

Wendy Christine Allen, uma norte americana, comprou em 1975 um Dodge 330 Coronet, pela incrível …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by themekiller.com