Home / Estranho e Extraordinário / Torres do silêncio zoroastrianas

Torres do silêncio zoroastrianas

Uma torre do silêncio (conhecida também como “dakhma”) é um tipo de estrutura criada para fins funerários e utilizada por adeptos da fé zoroastriana. A tradição deles considera os cadáveres impuros e os quatro elementos (terra, fogo, ar e água) não podem ser poluídos. O demônio do cadáver contaminaria tudo o que entrasse em contato com ele, por isso algumas regras foram criadas com a intenção de eliminar os mortos da maneira mais segura possível. Assim, os cadáveres são deixados ao sol e a mercê de aves necrófagas (que se alimentam de animais mortos).

Essa prática é muito comum entre os zoroastras, embora ultimamente não seja mais tão praticada, existem várias torres abandonadas, e sem dúvida há um ar de mistério ao redor delas.

Sobre as torres

O termo “torre do silêncio” é atribuído a Robert Murphy, um tradutor do governo britânico a serviço na Índia no começo do século 19.

Ilustração de uma torre do silêncio

As torres em geral, são muito parecidas entre si. São plataformas elevadas, com um teto praticamente plano, e com parede ligeiramente mais alta que o centro. O telhado é composto por 3 círculos concêntricos. Os corpos do homens seriam depositados no anel externo, as mulheres no do meio e as crianças no anel inferior.

Os mortos eram deixados lá, onde seus corpos seriam comidos por abutres (aqui apenas para conhecimento, se há uma concentração grande de abutres, um corpo humano pode ter sua carne completamente removida em até 30 minutos, deixando expostos apenas os ossos).

Depois que os corpos não tem mais carne, seus ossos permanecem expostos ao sol até branquear (processo que pode durar até um ano). Posteriormente, esses ossos são removidos e depositados em um ossário que pode estar dentro ou próximo da torre, onde gradualmente vão se desintegrando.

Podemos encontrar torres do silêncio na Índia e no Irã, onde ainda existem comunidades Parsis. No Irã, essa prática foi muito comum até a década de 1970, quando foi proibida pelo governo. Relatórios indicam que na Índia ainda existe uma população aproximada de 61.000 Parsis, e destes, 45.000 estão em Mumbai, por isso que em Mumbai podemos encontrar a maior parte dessas torres.

Situação atual

O problema com relação as torres do silêncio atualmente, não é necessariamente com as torres em si, mas o despovoamento de abutres e outras aves que se alimentam de carne em decomposição.

Isso acontece principalmente porque uma grande parte dessas aves se alimentou de carcaças de animais que haviam ingerido Diclofenac (um tipo de analgésico), e com isso as aves passaram a sofrer de insuficiência renal, causando suas mortes. Como resultado, as aves que ficaram não são suficientes para dar conta da carne de todos os mortos.

Os Parsi então resolveram adotar outras práticas funerárias, enterrando ou mesmo cremando seus mortos, porém os discípulos mais fiéis, buscando manter a tradição, criaram aviários para reprodução de abutres, próximos das torres do silêncio.

Fontes:
The Guardian
Ancient Origins
Quora

Veja também

A carta de uma freira possuída no século XVII finalmente foi decifrada

Irmã Maria da Cruz da Conceição era o nome monástico de Isabella Tomasi. Em 11 de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by themekiller.com