O Sacerdote de Bel

Em março de 1892, o professor de assiriologia da Universidade da Pensilvânia, Hermann Hilprecht, dava os retoques finais em sua obra-prima, um tratado de antigas inscrições babilônicas. Porém dois dos itens (fragmentos de ágate que Hilprecht acreditava serem anéis do templo de Bel em Nippur) desafiavam a decifração. Cansado e frustrado, o professor rotulou os dois pedaços como “não classificados”, e acabou dando os toque finais em seu livro.

Numa determinada noite, Hilprecht sonhou que uma figura alta, vestida com trajes de sacerdote da Babilônia, conduziu o assirólogo a uma câmara do tesouro, numa local que Hilprecht logo reconheceu como sendo o templo de Bel. Na sequência o indivíduo pôs-se a explicar que os dois intrigantes fragmentos de ágate eram, na verdade duas partes de um mesmo anel, e que, devido a falta de ágate, fora dividido para formar um par de brincos para uma estátua do deus Ninib. Se os dois pedaços forem colocados juntos, disse o sacerdote no sonho, então irão revelar toda a inscrição que Hilprecht desejava decifrar.

Na manhã seguinte, animado pelo sonho, Hilprecht imediatamente pôs-se a examinar os fragmentos de ágate. Quando colocados lado a lado, foi possível traduzir: “Para o deus Ninib, filho de Bel, seu amo, alto sacerdote de Bel, oferece isto”.

Veja também

Moeda Teledeslocada

Raymond Bayless foi um investigador de casos paranormais muito famoso e chegou a ter vários livros …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *