Home / Estranho e Extraordinário / Criaturas Estranhas / Lithoreda abanatica. Esse estranho animal que come rochas e defeca areia

Lithoreda abanatica. Esse estranho animal que come rochas e defeca areia

Reuben Shipway é um Ph.D em biologia marinha e pesquisador do Centro de Ciências Marinhas da Northeastern University. Recentemente em seus estudos ele retirou de dentro de uma rocha uma criatura de aparência muito estranha, que segundo um comunicado emitido pela universidade parecia “uma salsicha translúcida”.

Esse animal é de uma espécie que é conhecida como “Shipworm“, se parece com um verme, mas na verdade é um molusco. Eles ganharam esse nome por mastigar e digerir madeira de embarcações, até que elas estejam cheias de furos. O estranho nessa descoberta de Shipway é que este animal que ele encontrou não comeu madeira e sim rocha. Além disso ele defecava areia.

Este espécime foi encontrado no rio Abatan, na ilha de Bohol (Filipinas) e os estudiosos acham que ele vive apenas em uma determinada região do rio. O verme recebeu o nome de Lithoreda abanatica (derivação de litho = rocha e teredo = verme, em latim) e a segunda parte do nome é uma referência ao rio onde foi encontrado.

Para a ciência, este é um animal tão estranho e novo que não é apenas uma nova espécie, mas um novo gênero. Só que para os moradores locais, ele não é tão novo assim, na verdade já é um velho conhecido. Os habitantes de Bohol não apenas indicaram onde encontrar o animal, mas também disseram que ele é uma iguaria culinária que eles comem em ocasiões especiais.

De acordo com a crença local, as mães o ingerem para aumentar a lactação.

Os vermes conseguiram mudar o ecossistema. As rochas estavam cheias de buracos e, de muitos dos buracos projetavam-se pedaços desses animais. Os buracos que os moluscos deixaram nas rochas agora abrigam pequenos peixes e crustáceos.

Os Lithoreda abanatica medem mais ou menos 15 centímetros e são bem diferentes dos vermes de madeira, têm dentes maiores para furar a rocha, de acordo com o estudo publicado no Proceedings of the Royal Society B, a revista da Academia de Ciências do Reino Unido.

Uma coisa que ainda intriga os cientista é: de onde estes animais tiram energia para sobreviver? Nas rochas não há nutrientes que possam ser absorvidos. É possível que eles sobrevivam por causa das bactérias que vivem em seu organismo. Se essa relação realmente se comprovar, pode ser importante para nós, humanos. Mas como? Se as bactérias coexistem com outro organismo, elas evoluíram para beneficiar seu hospedeiro e se elas não prejudicam um molusco, provavelmente não serão prejudiciais a um humano também.

Fontes:
Terra 

BBC Brasil

Veja também

O que são buracos negros

Nessa semana, um assunto que está muito em alta nos jornais e na internet é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by themekiller.com