Home / Estranho e Extraordinário / Leonid Rogozov, o médico que se auto-cirurgiou

Leonid Rogozov, o médico que se auto-cirurgiou

Acredito que você não conheça muitos casos, talvez nenhum, de médicos que conseguiram fazer uma cirurgia neles próprios. A auto-cirurgia é uma das coisas mais difíceis que o ser humano pode tentar fazer.

Ao longo da história surgiram alguns casos de pessoas “casca grossa” que tiveram essa coragem e habilidade. Há uns anos trás, uma mulher no México fez uma cesariana em si própria usando uma faca de cozinha, enquanto usava bebidas destiladas como anestésicos. Um outro caso, é o de Jerri Nielsen, que fez uma biópsia em seu câncer de mama enquanto estava na Antártida.

Certamente um dos casos mais famosos de auto-cirurgia é o de Leonid Rogozov, um jovem médico que estava em expedição na Antárdida e se auto diagnosticou com apendicite aguda.

Rogozov estava iniciando uma carreira promissora como cirurgião e estava trabalhando em um novo método para operar câncer de esôfago, mas pouco antes de defender sua tese, resolveu sair em expedição ao Pólo Sul junto com outros 11 homens para montar uma base polar. Além de médico, ele também se viu trabalhando como meteorologista e operador de máquinas pesadas.

Mas em uma noite em 29 de abril de 1961, Rogozov começou a passar mal e vomitar muito. Quando começou a sentir febre e uma dor no abdômen, se diagnosticou com apendicite, isso foi fácil. O difícil era que, estando em um ambiente com temperatura congelante, sem equipamento hospitalar, sem médicos e sentindo dores muito fortes, ele poderia morrer se o apêndice não fosse removido urgentemente.

A maioria das pessoas iria apenas sentir muita dor e acabar morrendo, mas Leonid Rogozov decidiu viver, fosse como fosse. Mesmo com tudo conspirando contra, ele resolveu remover o apêndice sozinho. As cirgurgias de apêndice são relativamente fáceis de serem feitas, mas no caso de Rogozov, estava em uma sala de cirurgia improvisada, trabalhando de cabeça para baixo, com febre e dores, e com a ajuda apenas de trabalhadores que não tinham o menor conhecimento médico.

Por quase duas horas, Rogozov operou seu próprio apêndice infectado. Mesmo sem ver direito sua ferida aberta, ele trabalhou sozinho, sem luvas e por vezes usando apenas um espelho para tentar fazer o melhor possível. Cansado, estressado e com dores, ele precisava parar a cada 5 ou 10 minutos para vomitar ou descansar. Mas isso tudo era necessário se ele quisesse continuar vivo.

Apesar de tudo, Rogozov conseguiu retirar o órgão infectado, e tão logo conseguiu removê-lo, desmaiou. Posteriormente ele se lembrou que o apêndice estava numa situação tão crítica que teria estourado no máximo umas duas horas depois. Se isso tivesse acontecido, certamente ele não teria sobrevivido.

Incrivelmente, depois de duas semanas de sua auto-cirurgia, Rogozov estava novamente trabalhando como médico na base. Ele acabou ainda trabalhando por um ano inteiro lá.

Quando voltou, defendeu sua tese, recebeu um prêmio do Governo Soviético e viveu o resto de sua vida como professor de cirurgia geral em São Petesburgo.

Veja algumas fotos dele:

Que história.

Fonte: www.badassoftheweek.com

Veja também

Olive Oatman: a garota com queixo tatuado

Olive Oatman, nasceu em 1837 e era uma das sete crianças filhas de Royce e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by themekiller.com