Home / Estranho e Extraordinário / Guerra Paranormal, uma Possibilidade?
The remains of a fertilizer plant burn after an explosion at the plant in the town of West, near Waco, Texas early April 18, 2013. The deadly explosion ripped through the fertilizer plant late on Wednesday, injuring more than 100 people, leveling dozens of homes and damaging other buildings including a school and nursing home, authorities said. REUTERS/Mike Stone (UNITED STATES - Tags: DISASTER ENVIRONMENT AGRICULTURE TPX IMAGES OF THE DAY) - RTXYQ96

Guerra Paranormal, uma Possibilidade?

O interesse que antigamente era apenas superficial por fenômenos psíquicos/mediúnicos/paranormais já ficou para trás, e não é difícil de imaginar o motivo. Se a clarividência (visão de objetos colocados a distância) e a psicocinese (movimentação de objetos com o uso da mente) forem realmente faculdades humanas controláveis e passíveis de repetição, nenhuma superpotência mundial deverá permitir que outra assuma a dianteira na possibilidade de uma guerra mediúnica.

De acordo com Charlie Rose, membro do United States House Select Committee on Intelligence, os poderes mediúnicos podem ser definidos da seguinte maneira:”Um sistema de radar extremamente mais barato. E se os russos o tiverem e nós não, estaremos em apuros“. Charlie também expressou preocupação com as discrepâncias nos níveis de investimentos para pesquisas dos poderes paranormais entre as duas superpotências. Acredita-se que os EUA estão gastando entre 500 mil e 1 milhão de dólares, enquanto o orçamento dos russos é, segundo estimativas, pelo menos dez, e talvez até cem vezes esse valor.

Além disso, os estudos soviéticos não se concentram unicamente na percepção passiva. Por exemplo, um documento da Defense Intelligence Agency (DIA) sobre “Pesquisas Realizadas em Parapsicologia” detalha experiências russas em que um médium conseguiu fazer com que o coração de uma rã parasse de pulsar. De acordo com o relatório, o coração da rã foi colocado em um vidro à distância de 1 metro da médium. Quando ela se concentrou para controlar as pulsações, conforme mostrou o eletrocardiograma, o índice de contração realmente diminuiu. O relatório descreve que “Cinco minutos após o início da experiência, ela conseguiu interromper a pulsação inteiramente”.

A possibilidade de se usar o poder da mente nas guerras abre uma caixa de Pandora de grandes possibilidades. Não só um líder individual estaria sujeito a assassinato sob controle remoto, como também armas termonucleares poderiam sofrer ameaças psíquicas, ou até mesmo explodir, caso alguém que tenha a habilidade de mover um pequeno pedaço de uma determinada peça da arma de sua posição original. Um efetivo sistema de percepção extra-sensorial pode oferecer, dependendo da natureza do fenômeno, grande potencial ao executor de um ataque surpresa de uma vítima em potencial.

Veja também

Os Soldados de Terracota (China)

Em 1974, alguns agricultores chineses que estavam na região de Xi’an se depararam com fragmentos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by themekiller.com