Paralisia do sono

Embora seja uma experiência muito assustadora, a paralisia do sono é muito mais comum do que parece. Geralmente ocorre quando a pessoa desperta e nesse momento percebe que não tem capacidade alguma de se mover. Em alguns casos, a pessoa pode sofrer alucinações, sentir a presença de algo, dificuldade em respirar, entre outros.

Neste post, vou escrever um pouco sobre a paralisia e também sobre algumas lendas que cercam esse fenômeno ao redor do mundo.

O que é a paralisia do sono?

Trata-se de um período de paralisia do corpo que é conscientemente experimentada, ou seja, a pessoa percebe que está plenamente consciente de tudo o que acontece, porém não consegue mover membros do corpo.

Indivíduos que foram estudados, relatam que os ataques geralmente envolvem sentimentos de muito medo, raiva, sentimentos de morte e até mesmo morte iminente. Existem também casos em que a pessoa acredita que acordou e que o fenômeno passou, mas na verdade ainda está dormindo.

Um episódio pode durar entre apenas alguns segundos até 10 minutos e pode terminar espontaneamente ou quando a pessoa faz um esforço gigantesco para sair daquela condição, ou mesmo quando alguma outra pessoa o toca ou consegue chamar sua atenção.

Como ela é relatada

Curiosamente, ao longo da história muitos povos interpretaram ou ainda interpretam a paralisia do sono sob uma visão sobrenatural.

Vejamos algumas dessas interpretações

No Brasil, o mais conhecido é o mito da “Pisadeira“, que é descrita como uma pessoa de idade avançada, com unhas enormes e que espreita casas a noite em busca de pessoas que dormiram com a barriga cheia e com de barriga pra cima. A Pisadeira então entra na casa e pisoteia o peito destas pessoas. O nome “pisadeira” pode variar de estado para estado brasileiro, mas as características do personagem são praticamente iguais.

Henry Fuseli, em sua pintura mais conhecida, “O pesadelo” (1781) retratou a união entre pesadelo e paralisia do sono. Na imagem, uma mulher está deitada e em seu peito há um ser sentado. Ali também há a figura estranha de um cavalo escondido nas cortinas.

Em Portugal há o mito do “Fradinho da Mão Furada”. Dizem ele entra no quarto das pessoas e coloca sua “mão pesada” sobre o peito do indivíduo, o que o impede de conseguir gritar.

No México existe o mito do “se me subió el muerto“, que traduzindo é algo como “um morto subiu em mim” e na Catalunha, o Pesanta é um animal preto que invade casas a noite e pisa no peito das pessoas (o Pesanta, assim como o “Fradinho da Mão Furada” tem buracos nas mãos).

No Camboja, depois do regime cruel do ditador Pol Pot, começaram a surgir muitos relatos de paralisia do sono. Eles o chamam de “khmaoch sângkât“, ou “o fantasma que empurra”. Para eles, um ser sobrenatural meio que sufoca a vítima com as mãos, impedindo esta de respirar. Esses seres podem aparecer de 4 maneiras diferentes: (01) uma sombra alta e escura, sem aparência definida; (02) um ser de olhos vermelhos com uma capa, que segura uma faca; (03) um demônio parecido com um símio; (04) um ser bizarro que é apenas a cabeça de uma mulher e alguns de seus órgãos internos.

Os esquimós do Canadá chamam a paralisia de uqumangirniq e a atribuem a feitiços de xamãs. Embora os xamãs sejam bons, alguns que possam estar envolvidos em alguma disputa de poder, podem lançar feitiços em seus inimigos. Um desses feitiços consegue atingir o inimigo quando ele está dormindo, já que nesse momento a conexão entre corpo e alma é mais frágil.

Na Tailândia, o “phi am” é um fantasma que assombra os indivíduos quando estão quase adormecendo e os deixa incapazes de se movimentar.

O povo Hmong, da região do Laos e Vietnã, assim como os chineses, acreditam em um espírito se senta no peito dos que dormem e tenta asfixiá-los.

Em uma visão mais atual, a paralisia do sono estaria relacionada a “abduções alienígenas“, ou seja, sequestro de humanos por seres extraterrestres. Estudiosos acreditam que os relatos de sequestros começaram a ficar mais frequentes depois de 1975, quando a rede de TV NBC transmitiu uma reportagem onde entrevistavam o casal Barney e Betty Hill, que supostamente haviam sido abduzidos. As experiências que eles descreveram acabaram virando um padrão para milhares de pessoas: luzes que apareceram no meio da noite, paralisia corporal, dissecações, etc. A aparência dos “sequestradores” extraterrestres também foi produto da criação da NBC.

Você já teve alguma experiência de paralisia do sono? Conhece alguém que já passou por isso e relatou para você? Conte pra gente.

Fontes:
The Psychologist
Brooklyn Bedding
Frontier Sin

Veja também

Bloody Benders, a primeira família de serial killers da América

A história Em 1870, várias famílias se mudaram para a região da atual Cherryvale, Kansas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *