Blair Adams na recepção do hotel

Blair Adams – Um dos mistérios mais estranhos e não resolvidos

Os eventos que aconteceram antes da morte misteriosa de Blair Adams não pareciam fazer o menor sentido. De um dia para o outro, ele passou a ter uma crise aguda de paranoia e achava que alguém estava tentando matá-lo. As autoridades que mais tarde investigaram sua morte acreditavam que seu medo não era derivado de nada real. A questão é: como e por que ele acabou assassinado a milhares de quilômetros de distância? Ele era apenas paranoico ou alguém realmente o seguiu até conseguir tirar sua vida? Conheça um pouco da história de Blair Adams.

Quem foi Blair Adams?

Adams era o chefe de uma empresa de construção civil. Ele era um cara muito querido e ninguém tinha nada de ruim a declarar a seu respeito. Estava sempre feliz e sorrindo. Parecia que sua vida estava muito boa, mas no verão de 1996 as coisa começaram a mudar.

Lentamente, sua feição alegre começou a desaparecer e passou a ser tomada por mudanças de humor fortes, além de de ansiedade. As pessoas próximas a ele, descreverem essas mudanças de humor como frequentes e muito selvagens. Ninguém sabia o que estava por trás dessa mudança repentina, mas isso começou a afetar seu sono e, a medida que o verão avançava, ele dormia cada vez menos. Sua mãe, percebendo as mudanças no filho chegou a perguntar o que estava acontecendo, mas ele respondeu apenas: “Eu não acho que deveria contar sobre isso”.

Uma fuga desesperada

Em 5 de julho de 1996, Adams foi ao banco e retirou todo o seu dinheiro, que era de aproximadamente US$ 6000. Ele também tirou tudo o que tinha dentro de uma caixa postal que possuía milhares de dólares em jóias, ouro e platina. Dois dias depois, ele estava na fronteira entre o Canadá e os EUA e fez todo o possível para entrar no EUA, mas os funcionários da fronteira desconfiaram por ele possuir tanto o dinheiro e objetos de valor visíveis dentro do carro. Os agentes acreditavam que ele poderia ser uma mula ou mesmo um traficante de drogas, e por causa disso não permitiram sua entrada. Como não conseguiu entrar no EUA, ele resolveu voltar pra casa, mas no dia seguinte desistiu do emprego e comprou uma passagem aérea para Frankfurt, Alemanha.

Assim que comprou sua passagem, ele seguiu para a casa de um amigo. Quando chegou lá sem avisar, seu amigo logo percebeu que ele parecia estar em pânico. Ofereceu ajuda para Adams tentar novamente atravessar a fronteira, já que ele dizia que alguém estava tentando matá-lo. Mas, infelizmente não teve sucesso e Adams acabou deixando o amigo de lado.

Na terça-feira, quando deveria embarcar no voo, Adams desistiu de embarcar e conseguiu o reembolso do seu dinheiro. Alugou um carro e seguiu mais uma vez para a fronteira. Dessa vez ele conseguiu entrar no EUA e seguiu direto para Seattle, onde comprou uma passagem aérea para Washington DC. Assim que desembarcou em Washington DC, a primeira coisa que ele fez foi alugar outro veículo e dirigir até Knoxville, Tennesee, mais de 500  milhas (800km) ao sudoeste.

Último destino

Em Knoxville, ele parou em um posto de gasolina com problemas no carro. O atendente na estação diagnosticou rapidamente o problema: a chave que Adams tentava usar não era a correta para o veículo. Eles procuraram ao redor do local, mas nenhuma chave foi encontrada. Blair sugeriu ir para um motel local e descansar enquanto a locadora providenciaria a nova chave.

Blair Adams na recepção do hotel

As câmeras no saguão do hotel registraram comportamentos estranhos. Na série “Mistérios Não Resolvidos”, na terceira temporada, o um representante do hotel descreveu o comportamento de Blair: “A melhor maneira de descrevê-lo seria paranoico, nervoso, agitado, esperando que alguém entrasse com ele mesmo não havendo ninguém lá. Não sei quem ele estava esperando, mas ele estava esperando por alguém para entrar com ele”.

Blair Adams entrou e saiu do saguão cinco vezes no período de uma hora antes de finalmente pedir a recepcionista por um quarto. Enquanto parecia que ele estava tentando se convencer se devia ou não alugar um quarto, era visível que ele estava muito agitado. Várias vezes ele ficou olhando para trás de si mesmo. Depois de finalmente escolher um quarto, Blair saiu do hotel as 19:37 sem sequer usá-lo.

O assassinato

Essa noite foi a última vez que alguém viu Blair Adams. Na manhã seguinte, seu corpo foi encontrado dentro de um estacionamento a cerca de 800 metros do hotel. Por mais estranho que fossem suas atitudes nos últimos dias de vida, a cena do crime provocou ainda mais perguntas. Alguém arrancou sua camisa e também tirou sua calça. Havia cerca de US$ 4000 em moedas canadenses, americanas e alemãs ao redor de seu corpo. A polícia também descobriu uma bolsa de ouro e jóias na cena. As chaves do carro estavam no chão, a cerca de 10 metros de distância de Adams. Seu corpo tinha vários cortes e hematomas, mas a causa da morte foi um golpe no abdômen que rompeu seu estômago.

Quando a família de Adams soube de sua morte, ninguém conseguiu entender porque ele estaria em Knoxville. Segundo eles, Blair não conhecia ninguém em Knoxville e ele simplesmente não tinha motivos para estar lá. É possível que tenha tido algumas conexões na Alemanha. Talvez ele pensasse que fugindo para Frankfurt poderia ser sua melhor opção. Talvez acreditasse que estando escondido na Alemanha, seus problemas acabariam. Mas se fosse esse o caso, por que desistir da viagem e pedir o reembolso do dinheiro?

Perguntas sem respostas

A polícia teorizou que ele estava fugindo de algo imaginário. Será que ele estava tendo um episódio esquizofrênico paranoico? Não havia motivos para o assassinato. Todo o dinheiro e as jóias na cena do crime descartaram um assalto. Alguém seguiu o homem até a metade dos EUA? Quem seria e por quê? Nada dessa história faz sentido, e até hoje permanece sem respostas.

Veja também

A Batalha dos Aliados

No meio de agosto de 1951, duas inglesas que passavam as férias na França tiveram …

Um comentário

  1. Muito interessante essa história, compartilharei com os devidos créditos. (:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *