Home / Estranho e Extraordinário / As minhocas gigantes do Japão

As minhocas gigantes do Japão

Aqui no blog já contei histórias sobre vários tipos de criaturas estranhas e misteriosas, elas geralmente são relatadas na terra, nos mares ou mesmo no céu. Não é tão comum, no entanto relatos de seres que estão abaixo dos nossos pés. Em várias partes do mundo são contadas histórias sobre seres diversos que estão nos lugares mais escuros da terra, um desses tipos de seres são as minhocas gigantes. No Japão principalmente, está a maior parte desses relatos.

Na região de Hyogo, na ilha Honshu, já foram contadas histórias sobre aparecimentos de vermes com mais de 1,5 metros de comprimento. Uma dessas histórias data de 1712, na região que chamava-se Tamba. Após um desmoronamento enorme de terra em uma aldeia, foram encontradas duas minhocas de tamanho gigante, nos destroços. Um desses vermes media mais de um metro, enquanto o outro, ainda maior media aproximadamente 3 metros. Nesta mesma região em outra época, houve mais um desmoronamento de terra, que revelou outro verme ainda maior, com mais de 4 metros de comprimento.


Em um relato mais atual, de 1996, um agricultor da região de Mikata-gun descobriu uma minhoca de 1 metro de comprimento e 8 polegadas de espessura, quando estava plantando uma árvore em sua fazenda. Mesmo morando na região a muitos anos, ele nunca tinha visto nenhum verme tão grande como esse.


Em outras partes do Japão também existem histórias de vermes gigantes. Na região de Okayama, uma mulher disse que viu um de mais ou menos 3 metros de comprimento, enquanto cultivava plantas no campo. Ela disse também que ele parecia muito agitado (talvez pela movimentação que acontecia ali). Um outro fazendeiro levou um pedaço de uma minhoca para mostrar aos seus conhecidos, e disse que havia cortado enquanto trabalhava. Ocasionalmente, na mesma região aparecem histórias de minhocas um pouco menores (entre 60cm e 1m).


Pheretima sieboldi

Acho que o relato mais estranho pode ser este que apareceu na região de Fukuoka, em 1997. O Sr. Sato e um amigo viram algo estranho perto da beirada de um rio, no começo acharam que podia ser um pedaço de presunto ou algo parecido que alguém tinha deixado cair por ali. Quando chegaram mais perto para olhar melhor, notaram que o estranho objeto parecia ser um pedaço de carne, em forma de tubo, com mais ou menos 30cm de comprimento e 20cm de diâmetro, mas que tinha uma pele fina e brilhante e que não parecia ter ossos. As extremidades da peça estavam muito danificadas, o que fez com que eles desconfiassem que podia ser apenas uma parte de algo muito maior. Como o objeto tinha aparência viscosa e estava fedendo por causa do estado de decomposição, eles resolveram o deixar onde estava.


Outro ser também enorme e estranho, supostamente foi descoberto por agricultores na década de 1970, na região de Kyushu. Um trabalhador notou algo que parecia um tambor encaixado na terra, e quando chegou mais perto, percebeu que aquilo estava se mexendo. Ele ficou assustado e chamou outro colega para observar junto com ele. Em um determinado momento aquele objeto se projetou para fora da terra, como uma cobra e a parte que ficou acima do solo parecia ter mais de 1 metro, e eles contaram que era tão grossa quanto um poste de iluminação. Enquanto eles estavam assustados, assistindo aquilo, lentamente a estranha criatura foi afundando de volta para dentro da terra.


Megascolides australis

Em março de 2011, houve um terremoto em Tohoku e uma história sobre uma minhoca gigante apareceu logo após esse acidente. Uma testemunha disse que estava andando por um terreno e verificando os danos causados pelo terremoto, quando viu de longe o que pareciam ser cobras se mexendo. Enquanto ele seguiu caminho em direção ao campo para ver melhor, descobriu que, em vez de cobras, haviam pelo menos 10 vermes se contorcendo, e que segundo ele aparentavam ter mais de 2 metros de comprimento. Ele acredita que essas criaturas devem ter se incomodado com o terremoto e por isso se mexiam tanto fora da terra.


A questão aqui é, como é possível que minhocas de tamanhos enormes possam viver exatamente no Japão? Cientificamente, a maior minhoca conhecida que vive na região é a Seibold (Pheretima sieboldi), que em média tem apenas entre 25 e 28 cm. 

Talvez a maior espécie conhecida seja a gigantesca Gippsland (Megascolides australis), que existe apenas na região de Bass River, na Austrália. Esses vermes sim, podem atingir até 3 metros. Elas são muito raras, e de tão grandes, dá pra ouvir o barulho de seus movimentos na terra quando são perturbadas.

Spencerilla gigantean

Na Nova Zelândia, existe também um outro verme enorme conhecido como North Auckland (Spencerilla gigantean), que pode chegar até 1,4 metros e o mais interessante dessa espécie, é que dizem que ela pode brilhar no escuro. 

Nos Estados Unidos também podemos encontrar uma minhoca enorme. Conhecida como Palouse (Driloleirus americanus), ela pode atingir até 1 metro de comprimento. Essa minhoca tem uma cor branca, e segundo histórias populares, ela tem a capacidade de cuspir no seu inimigo, se for perturbada. Os cientistas acreditavam que esta espécie estaria extinta desde o fim dos anos 1980, mas por puro acaso, um estudante da Universidade de Idaho, achou um espécime em 2005 quando fazia uma escavação em um terreno.

Lumbricus badensis

Na Europa também podemos encontrar vermes de tamanhos maiores. Na Alemanha, na Floresta Negra, existe a Badish (Lumbricus badensis), que pode chegar até uns 60cm. Na Sicília e no sul da França, a espécie Hormogaster, pode chegar a 75cm.

Acredito que é possível mesmo que existam vermes gigantes no Japão, já que pelo menos dentro das possibilidades e levando em consideração outras minhocas conhecidas que existem no mundo, não vejo motivo para descartar essa possibilidade, mesmo porque a natureza desse tipo de animal, os ajuda a ficarem escondidos dos olhos humanos. Dependendo da espécie, elas podem escavar e atingir uma profundidade maior no solo.

Driloleirus americanus

A história da carcaça de Kyushu nos anos 70 sobre uma minhoca tão grossa e grande quanto um poste, não acredito ser real. Principalmente porque para as minhocas, o comprimento não é necessariamente algo que atrapalha uma minhoca, mas a espessura sim, já que para sua movimentação no solo, a falta de apêndices ou protuberâncias em seus corpos, podem facilitar a escavação. Mesmo as maiores minhocas conhecidas, tem uma espessura pequena em relação ao seu comprimento. Por exemplo, a australiana Gippsland, mesmo com seu enorme tamanho, tem apenas 2cm de diâmetro. Se um verme é mais espesso que isso, menos eficiente é para penetrar no solo.

Vale lembrar também, que a maior parte dos relatos de minhocas gigantes no Japão, eram em regiões próximas de rios ou do mar, o que pode levar a imaginar que poderia ser algum verme aquático, mas mesmo assim, o tamanho é incompatível com todas as espécies conhecidas. Nem mesmo as maiores salamandras ou enguias chegam tão perto do que foi relatado.

Ao redor do mundo todo os cientistas conhecem cerca de 6000 espécies diferentes. Será que existe uma espécie desconhecida de minhoca gigante no Japão? Será que é no Japão que se começarmos a escavar mais profundamente, vamos descobrir outros animais gigantescos?

Veja também

A carta de uma freira possuída no século XVII finalmente foi decifrada

Irmã Maria da Cruz da Conceição era o nome monástico de Isabella Tomasi. Em 11 de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Powered by themekiller.com