A Morte Misteriosa de Netta Fornario

Ocasionalmente, ouvimos falar de uma história que nos intriga até o ponto em que queremos recontá-la. O caso da morte de Netta Fornario em Iona, Escócia é exatamente esse tipo de história. Embora os detalhes em torno de sua morte não sejam comprovados e não possam ser verificados devido à falta de informações, ele faz para uma história fascinante, no mínimo.

No final do verão de 1929, uma mulher de cerca de 30 anos, Netta Fornario, deixou Londres para Iona, uma pequena ilha escocesa rica em folclores e histórias. Ela não era uma mulher comum para o seu tempo. Ela era membro da “Alpha et Omega”, um grupo dissidente da famosa Ordem Hermética da Aurora Dourada. Alpha et Omega era rica em práticas ocultas tais como magias ritualísticas, cartas de tarô, misticismo, e uma sólida crença nos poderes de telepatia. E, supostamente, Netta tinha um profundo interesse em fadas.

Não está claro por que Netta fez esta viagem. No entanto, ela levou uma quantidade extraordinariamente grande de bagagens, claramente pretendia ficar em Iona por bastante tempo.

Uma vez que chegou na ilha, Netta Fornario encontrou alojamentos com uma senhoria local chamada Sra. MacRae, que tinha o hábito de deixar os visitantes descansarem sob seu teto. Os dois fizeram uma dupla estranha, mas alguma forma de amizade passou a se desenvolver entre os dois.

Netta passava a maior parte de seus dias vagando sozinha pela pequena ilha e as noites, envolvida em várias práticas sobrenaturais.

Durante muitas semanas, esse arranjo continuou sem problema, mas algo mudou quando o chegou no outono. A primeira indicação de que algo estava errado era uma mensagem enigmática que Netta enviou a sua governanta de Londres. Ela afirmou que estaria fora de comunicação por algum tempo, porque ela tinha “um caso terrível de cura” para trabalhar.

A aparente angústia de Netta aumentou na manhã do dia 17 de novembro, quando MacRae se levantou para encontrar Netta que estava desesperada empacotando sua bagagem. Ela informou a senhoria que precisava retornar imediatamente a Londres, já que vários indivíduos a atacavam telepaticamente. MacRae estava cética. Ela não percebeu nada estranho na aparência de Netta até que ela percebeu que a jóia de prata que Netta tinha, ficou completamente manchada de preto durante a noite.

MacRae disse a Netta que seria impossível viajar naquele dia. Os barcos para o continente não partiam aos domingos. Netta ficou furiosa e se retirou para seu quarto. Depois de várias horas, ela voltou e calmamente anunciou a MacRae que havia mudado de ideia e ficaria em Iona. Ela então saiu para um de seus passeios diários usuais.

MacRae estava acostumada a Netta saindo sozinha, então ela não ficou alarmada quando ela não voltou naquela tarde. Quando a escuridão chegou e Netta ainda não tinha retornado, no entanto, MacRae passou a ficar preocupada. A noite estava muito fria e ventosa para qualquer um estar vagueando na ilha.

Mesmo em Iona, que é uma ilha pequena, levaram dois dias para encontrar o corpo de Netta. O local da morte era incomum. Uma cruz tinha sido cortada na relva com uma adaga (que foi encontrada nos arredores) e o corpo de Netta estava deitado em cima dele. Ela foi encontrada apenas vestindo uma fina capa preta.

O médico que examinou o corpo não conseguiu deduzir o tempo de morte. Ele declarou que ela poderia ter morrido a qualquer momento, entre 17 e 19 de novembro, quando seu corpo foi encontrado. Ele aparentemente também teve problemas para determinar a causa mortis. Assim, ele alegou que a morte poderia ser por “exposição aos elementos” ou “insuficiência cardíaca.” Nenhum dos dois porém poderiam explicar misteriosos arranhões profundos no corpo de Netta e na sola de seus pés. Estava fugindo de alguma coisa?

Esse pode ser um caso de uma mulher, ignorante dos efeitos mortais de ventos fortes e temperaturas congelantes, que se perdeu confusa durante uma noite escura em uma ilha escocesa isolada.

Seus colegas praticantes das artes mágicas, no entanto, estavam convencidos de que Netta Fornario foi morta por um ataque telepático psíquico gerado por alguém a muitos quilômetros de distância.

Fonte:http://www.historicmysteries.com/

Veja também

A Batalha dos Aliados

No meio de agosto de 1951, duas inglesas que passavam as férias na França tiveram …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *